sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Billy Collins

Introdução à poesia



Pedi-lhes que pegassem num poema
e o colocassem em contraluz
como uma transparência colorida

ou encostassem um ouvido à sua colmeia.

Eu disse larguem um rato no poema
e observem-no a tentar descobrir a saída,

ou caminhem dentro do quarto do poema
e sintam as suas paredes por um instante de luz.

Eu desejo que eles pratiquem ski aquático
sobre a superfície de um poema
deslizando sobre o nome do autor até à margem.

Mas tudo o que eles querem fazer
é amarrar o poema a uma cadeira com uma corda
e obter a sua confissão através de tortura.

Começam a bater-lhe com uma mangueira
para descobrirem o que realmente significa.



(versão minha)

Sem comentários: