segunda-feira, 31 de março de 2008

Lisel Mueller

Em Novembro



No interior da casa o vento uiva
e as árvores rangem de forma horrível.
Esta é uma velha história
com o seu velho começo,
enquanto me deito para adormecer.
Mas, quando acordo, a luz do sol
tomou conta de todo o quarto.
Tu já preparaste o café
e o rádio traz-nos música
vinda de uma época confiante. No jornal
as más notícias acontecem em lugares longínquos.
Fosse o que fosse que estivesse para acontecer
na minha história não aconteceu.
Mas sei que há regras que não podem ser quebradas.
Talvez um nome tenha mudado.
Um pequeno erro. Talvez
uma mulher que eu não conheço
enfrente agora o dia com o coração pesado
que, segundo todas as leis, deveria ser o meu.



(versão minha)

1 comentário:

Sandrio cândido. disse...

gostei de conhecer, estou lendo...
abraços