sábado, 18 de abril de 2009

Naomi Shihab Nye

Aquele que vai rolando



Um rapaz disse-me que
se rolasse suficientemente depressa nos seus patins
a sua solidão não conseguiria apanhá-lo,

a melhor das razões que conheci até hoje
para querer ser um campeão.

O que eu procurei saber esta noite
pedalando com toda a força pela rua King William abaixo
é se isto tem tradução para bicicletas.

Que vitória! Deixares a tua ofegante
solidão para trás numa esquina qualquer
enquanto flutuas livremente dentro de uma nuvem
de inesperadas azáleas,
pétalas cor-de-rosa que nunca se sentiram sós,
não importando a lentidão com que cairam.




(versão minha; original reproduzido em Tender spot - selected poems, Bloodaxe, Northumberland, 2008, p. 85).

2 comentários:

Jota disse...

Magnífico :) Obrigado.

Lp disse...

Quando é que arranjas a bicicleta?