segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Nicolai Kolev-Bosiya

Posição



Estou a pintar
uma pequena cruz preta
na testa
para que
o inimigo
possa apontar melhor.
Não torno pública
a minha falta de medo.
Sei
que o assassino
não compreenderia.
Ele desenharia
apenas um ponto
no centro do alvo
e o seu indicador
premiria o gatilho.
Um buraco abrir-se-ia
na testa despedaçada,
no meio dessa
nobre Cruz da Bíblia.
Então eu extrairia
da polpa espessa
alguns pensamentos e sangue,
miolos e um grito
e com isso pintaria
a terrível tela da vida,
com isso escreveria
o meu mais terno poema.



(versão minha, a partir da tradução inglesa de Belin Tonchev reproduzida em Young poets of a new Bulgaria, selecção e tradução de B. Tonchev, introdução de Sebastian Barker, Forest Books, Londres, 1990, p. 38).

2 comentários:

braveangel disse...

gosto muito deste site. estou a tentar criar alguma coisa parecida, mas desde o português/español ao inglês. pode sugerir alguns poetas portugueses contemporâneos interessantes?

Lp disse...

Vi o seu blogue e parece-me um projecto que vale a pena acompanhar. Não sei se o seu interesse vai para os poetas mais recentes ou para aqueles que já estão integrados no cânone, como Fernando Pessoa, Jorge de Sena, Sophia de Mello Breyner ou Eugénio de Andrade, só para citar 4 nomes que me parecem poder funcionar como uma boa porta de entrada na poesia portuguesa (mais ou menos) contemporânea. Se quiser conhecer poetas vivos, alguns deles na casa dos 20 anos, então pode dar uma vista de olhos, por exemplo, por este blogue:

http://hospedariacamoes.blogspot.com/

Acho que encontrará matéria suficientemente apelativa para sentir vontade de traduzir alguns dos poemas.