quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Blaga Dimitrova

Futuro radiante



- Pássaro? - perguntaram as crianças. - Mas o que é isso?
- Algo polícromo, com penas, alado.
Muito belo, etéreo.
Que voa até às nuvens.
E canta como uma campainha cristalina.
- Voa? - exclamaram as crianças. - Sem pilhas,
por si só?
O seu canto enfeitiça?
Todo penas de cores deslumbrantes?
E não nos ataca, não mata?
Não! Fantasias!
Não houve, nem haverá alguma vez
um ser assim, de conto de fadas!


1997



(versão minha a partir da tradução espanhola de Zhivka Baltadzhieva reproduzida em Espacios, organização e prólogo da tradutora, La Poesia, señor hidalgo, Barcelona, 2006, p. 41. Com este poema assinalam-se os dois anos de existência deste blogue).

4 comentários:

Amélia disse...

Parabéns pelo aniversário do blogue,L.P.!
Um abraço

Lp disse...

Obrigado, Amélia.

CCF disse...

Um ano já?! E tanta poesia dada a conhecer!!!
Cheguei há menos de meio :)))
Um dia quando tiver mais tempo ainda vou ler todos os poemas para trás...
~CC~

Lp disse...

Por acaso são dois... O tempo voa, é o que é.