quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Raymond Carver

Pelo menos



Quero levantar-me cedo uma manhã mais,
antes do nascer do sol. Antes mesmo dos pássaros.
Quero atirar água fria à minha cara
e estar à minha mesa de trabalho
quando o céu clarear e o fumo
começar a sair das chaminés
das outras casas.
Quero ver as ondas a quebrarem-se
nesta praia rochosa, não ouvi-las apenas
a bater, como fiz toda a noite durante o meu sono.
Quero ver de novo os navios
que passam pelo estreito vindos de todos
os países marítimos do mundo -
os cargueiros velhos e sujos movendo-se vagarosamente
e os novos e rápidos navios de carga
pintados, sob o sol, de todas as cores
que cortam a água à medida que avançam.
Quero manter-me de olhos bem abertos por eles.
E pelos pequenos barcos que manobram
na água entre os navios
e o porto, junto ao farol.
Quero vê-los a receberem um homem que sai do navio
e a pôr outro lá em cima, a bordo.
Quero passar o dia a ver isto a acontecer
e tirar as minhas próprias conclusões.
Detesto parecer ganancioso - e já tenho tanto
pelo qual devo ficar agradecido.
Mas quero levantar-me cedo mais uma manhã, pelo menos.
E ir para o meu lugar com algum café, e esperar.
Esperar, apenas, para ver o que irá acontecer.



(Versão minha; original reproduzido em Good poems, selecção e introdução de Garrison Keillor, Peguin, Nova Iorque, 2002, pp. 8-9).

9 comentários:

Amélia disse...

Para já gostava de lhe enviar os meus desejos que tenha umfeliz ano TODO!
Depois, que continuo a apreciar o seu trabalho de tradutor.
Em relação a Carver, gosto mais dele como contista, mas também lhe aprecio os poemas. Li vários livros de contos dele e talvez porque tenha sido o primeiro parece-me que aquele de que mais gostei foi Catedral.É muito difícil ser-se um bom contista.

Lp disse...

Agradeço e retribuo os votos de um bom ano e de boas leituras.

esferografia disse...

O despertar mais cedo, é como se fosse querer alongar a vida, esticá-la, acho que também gostaria fe fazer tais coisas...

Amei o blog, um feliz ano novo pra ti...

Lp disse...

É uma boa ideia para o novo ano... obrigado e seja bem vinda.

Albino M. disse...

Não há uma gralha no verso de "Quero vê-los..."?

Lp disse...

Há, sim senhor; obrigado, Albino.

CCF disse...

Que 2011 lhe traga pelo menos uma parte do que quer...e energia para fazer por isso e para que o trapézio continue assim a baloiçar palavras sem rede, só agradeço.
~CC~

Lp disse...

Muito obrigado e um bom ano.

a casa que caminha disse...

Coloquei este poema lá na minha casa que caminha. Parece fazer parte de uma série deste autor onde a morte está muito presente. Tentarei encontrar outros.
Faço este comentário, não para mostrar a minha apreciação pelas suas traduções, mas para lhe dizer que ainda não está esquecida a minha promessa de lhe enviar alguns poemas de Nova Iorque que possuo escritos em inglês. Acontece que me falta o tempo e a disponibilidade de fazer uma coisa que me custa um pouco e que é escrever em inglês. Em breve tentarei fazer o prometido.
Abraços

António