sexta-feira, 15 de junho de 2012

David Turkéltaub

O tempo corre



Que queres dizer com isso de que o tempo corre?
Corre a nosso favor ou corre
separando-nos? Os cinquenta
beijos de ontem à noite, e da noite anterior,
correm no sentido dos ponteiros
do relógio, ou no outro sentido?
Perdi a conta.
Somos dois, dizes-me, e o tempo
corre: ontem éramos um só
e caminhávamos a passo de tartaruga.



(Versão minha; original reproduzido em Informe para extranjeros - Antología de poesía chilena contemporánea; selecção de María Nieves Alonso, Gilberto Triviños, Juan Carlos Mestre e Mario Rodríguez; prólogo de María Nieves Alonso, Diputación de Huelva, Huelva, 2001, 1º volume, p.119).

1 comentário:

je suis...noir disse...

"O tempo não é só um, ou é só um, mas quebrou-se, procurou-se, estabilizou-se, era outro, antes nunca escrevi a palavra coração. Ao ter morrido um tempo, escrevi a palavra, nasceu outro, eterno, lento, bom." Jorge Listopad