quarta-feira, 23 de maio de 2018

Naomi Shihab Nye

As abelhas eram melhores



Na faculdade, as pessoas estavam sempre a acabar umas com as outras.
Nós acabámos em parques de estacionamento,
junto a fontes.
Duas pessoas acabaram a sua relação
mesmo à minha frente, do outro lado de uma
mesa da biblioteca.
Nunca mais fui capaz de me sentar a essa mesa,
apesar de não as conhecer.
Eu andava a estudar as abelhas, que conseguem
transmitir mensagens através dos seus voos dançantes
e de encontrar o caminho de regresso
a casa, às suas colmeias,
mesmo se lhes puserem à frente barreiras de lençóis
ou placas de madeira e arame.
As abelhas têm um radar nas asas e nos cérebros
que os seres humanos muito dificilmente compreenderão.
Eu escrevi um estudo defendendo
a sua genialidade e superioridade
e revi-o num pequeno café
decorado com colheres de mel em forma de colmeia
colocadas em potes de mel prateados
em cada uma das suas mesas.



(Versão minha; o original pode ser lido aqui)

Sem comentários: