segunda-feira, 26 de abril de 2010

Roger Wolfe

Glosa de Celaya



A poesia
é uma arma
carregada de futuro.

E o futuro
é do Banco
Santander.



(Versão minha; original reproduzido em Noches de blanco papel (poesía completa 1986 - 2001), Huacanamo, Barcelona, 2008, p. 262).

4 comentários:

jpb disse...

Sim, muito bem visto. Bom... e parte do futuro será da Isabel dos Santos.

Rute Oliveira disse...

ha,

: )

fallorca disse...

E assim se passa a palavra:
http://doarcodavelha.blogspot.com/2010/04/canguru.html

Lp disse...

muito obrigado pelo "cheirinho" n' o cheiro dos livros e pela indicação do arco da velha... nestes casos, ao contrário do canguru, saber foi melhor do que não saber (pelo menos, para mim).