sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Karmelo C. Iribarren

O resto é conversa

Para os Legorburu Arzamendi



A minha mulher e a minha filha,
estas paredes e estes livros,
um punhado de amigos
que me querem bem
- e dos quais gosto de verdade -,
as ondas do cantábrico
em setembro,
três bares, quatro
contando com o clandestino da praia.
Ainda que saiba que deixo
algumas coisas, posso dizer
que, a ser algo, será esta a minha pátria.
O resto é conversa.



(Versão minha; poema reproduzido em Seguro que esta historia te suena - Poesía completa (1985-2005), Renacimiento, Sevilla, 2005, p. 185).

2 comentários:

CCF disse...

Pouco e, no entanto, muito.
~CC~

Lp disse...

concordo