quinta-feira, 8 de março de 2012

Ricardo Castro Ferreira

Um pouco da morte























(Óleo sobre papel; 2012).

6 comentários:

Helena disse...

Gulp.

(é isso mesmo)

(eu sei, isto não é um comentário à altura da qualidade do blogue, mas fico aqui a pensar porque é que um blogue tão bom tem tão poucos comentários. Então saia ao menos um "gulp", de pobre retórica, mas autêntico.)

Lp disse...

Poucos comentários, mas bons (magníficos), como o seu... muito obrigado , Helena.

RCF disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RCF disse...

Obrigado pela parte que me toca, Helena. Espero que continue a acompanhar um pouco da (minha) morte.

14 de Março de 2012 22:29

Helena disse...

Ricardo Castro Ferreira,
fui ao seu blogue, e esqueci-me de levar as pedrinhas para ir largando à medida que avanço.
Como é que faço agora para sair de lá?

(se já é tão difícil sair deste trapézio)

RCF disse...

Bom dia, Helena.
O meu blog é toda uma certidão de óbito. A morte é a da pintura. É estranhamente mais fácil pintar e falar de pintura quando esta já foi declarada coisa morta. Ficamos, então, finalmente, sem caderno de encargos. Depois vem o olhar sobre o mundo, as coisas do mundo e o olhar sobre o próprio olhar. Se falharmos é culpa apenas da nossa desatenção.
Obrigado pelas suas palavras.