terça-feira, 27 de outubro de 2009

Al-Saddiq Al-Raddi

A pequena raposa



De súbito - uma pequena raposa, brincalhona,
inunda com alegria o teu ferido coração
Ela procura o teu rosto com o seu olhar singular,
sabe que te identificas com ela na sua pose vagabunda

Nessa mesma noite em que suspirei por ti,
em que senti a falta do teu delicado despertar
e ansiei pela lua que sabia de cor os nossos nomes
Esse vidro estilhaçado e esquecido,
o esquilo atrevido que fugiu -
abandonando-nos tudo: a noite, e o vinho

E quanto a mim - estou bêbedo de sede,
tremo de desejo por ti -
mas não há aqui nenhuma raposa para ser encontrada


Cartum 14 de Junho, 2006
(versão minha, a partir da tradução inglesa de Sarah Maguire, reproduzida aqui).

2 comentários: