domingo, 24 de abril de 2011

Jüri Talvet

Breve carta para Álvaro de Campos



O que é a realidade? Apenas um monte de ossos. Por isso há
que construir, só por isso há que construir com argamassa
feita de cinza e madrugada, imaginações, paredes que falem
para uma casa em que talvez um dia se aloje uma rapariga.



(Versão minha a partir da tradução castelhana de Albert Lázaro-Tinaut e revista pelo autor incluída em Del sueño, de la nieve (Antología 2001-2009), Olifante, edição bilingue estónio-castelhana, Saragoça, 2010, p. 33).

4 comentários:

Maria Costa disse...

Excelente.

Obrigada pelo seu continuado trabalho, trabalho esse que tanto falta faz neste pais, desligado da cultura e ainda mais da Poesia.

Lp disse...

obrigado.

Albert Lázaro-Tinaut disse...

Grato pela surpresa da publicação de minha tradução do poema de meu bom amigo estónio Juri.
(Y excusas por mi pésimo portugués...)

Lp disse...

Eu é que fico extraordinariamente agradecido pelas suas palavras e pela sua tradução dos poemas de Juri Talvet.