sábado, 29 de novembro de 2008

Fernando López de Artieta

As quatro estações



O outono e as suas ruas
douradas pelas folhas dos livros.

O inverno de neve
igual a um longo e triste hendecassílabo.

Depois a primavera enamorada
lendo algum poema de Vírgílio.

Logo chega o verão e, como sempre,
mandamos para o caralho os versinhos.



(versão minha; poema do livro Jugar en serio, Visor Libros, Madrid, 2004, p. 63).

3 comentários:

Jota disse...

ora essa!...

Lp disse...

Não gostaste da parte da neve? Bem apropriada ao tempo (outonal) que faz, não?

Jota disse...

Pergunta ao Virgílio. Nunca lhe perdoei aquela história com a prima Vera. Ela também se revelou uma betinha, a sonsa.