sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Olav H. Hange

Tu eras o vento



Sou um barco
sem vento.
Tu eras o vento.
Era esse o rumo que eu devia seguir?
A quem importa o rumo
com um vento assim!



(versão minha a partir da tradução espanhola de Francisco J. Uriz, reproduzida em Tres poetas noruegos, tradução e selecção de Francisco J. Uriz, Libros del Innombrable, Saragoça, 2002, p. 86).

3 comentários:

lenor disse...

Acho que este é o meu poeta preferido, de todos os deste blog. Mas ainda deve haver mais para ver, por isso não tenho a certeza.
Mas deste, já lá vão 5 poemas certos. Não é uma vida mas é uma obra.

CCF disse...

Em tão poucas palavras quase tudo dito. Gosto tanto!
~CC~

CristinaGS disse...

"A quem importa o rumo
com um vento assim!" A ninguém, claro! :)