segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Petko Daveski

A sobrevivência das coisas



Entre as coisas
que sobreviveram aos criadores
encontram-se
uma faca e um machado de pedra
e um maço perfurado no cabo.
Objectos criados pelos artesãos
para sobreviverem ao inverno,
usados também para sobreviverem
às vozes ameaçadoras da fome,
ao inóspito e aos adversários.
Objectos que sobreviveram
ao seu uso real,
sem a alma vendida desde o passado
ao seu valor de uso.
Cavando assim profundamente na terra,
cavando cada vez mais fundo também no tempo
até ao manancial da origem turvado
pela gota escarlate de Abel.



(versão minha a partir da tradução para castelhano de Maria Krstevska reproduzida em 4 poetas macedonios, Norteysur, Benalmádena, 2006, p. 68).

2 comentários:

非凡 disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

lenor disse...

O poema parece encontrar-se no fundo se um sulco cavado na terra e afinal está no fundo de todos os tempos. Ou vice-versa.